Artesaniando possibilidades de acolhimento de Norte a Sul: entre experiências pandêmicas na saúde e na educação | Paula Cadore, Daniele Noal Gai, Aline Milena Castro Matos e Sônia Maria Lemos


 

Paula Cadore [1]
Daniele Noal Gai [2]
Aline Milena Castro Matos [3]
Sônia Maria Lemos [4]

 

Entre experiências que nos movem: uma escrita de possíveis

Esta escrita parte do desejo das pesquisadoras de revisitar memórias e descrever a experiência de criação (e invenção) de possíveis (Deleuze, 1992) no ano pandêmico de 2020. Criar possíveis no sentido de cuidado e ensino, a partir da tessitura de redes afetuosas, artísticas, criativas e acolhedoras. Uma ou várias redes para conectar professores, estudantes, profissionais da saúde, usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), artistas e profissionais da educação, durante a pandemia da Covid-19. Conectar no sentido de acolher. Conectar para olhar, para sentir e partilhar. Conectar para compartilhar nossas experiências de vida, ou as entre experiências, durante o isolamento social. Criar, conectar e produzir redes que sustentassem a educação e a saúde públicas como possíveis para a população brasileira; seja no sul, no leste, no nordeste ou no norte do Brasil.

Nos referimos à experiência com o pensamento de Larrosa (2015), entendendo que esta palavra trouxe também um conceito importante, que serve para entendermos o nosso tempo e o que nos acontece. O contemporâneo de nossas experiências nos situava em um lugar, e elas estavam relacionadas às intempéries e aos acontecimentos da vida. A partir de nossas experiências conseguimos falar sobre quem não somos, o que não queremos ser e também podemos afirmar nossa vontade de viver – e nisto investirmos nossos esforços. Por que experiência é o que nos acontece, junto das múltiplas tentativas de elaborar sentidos, ou elaborar a falta deles. Compartilhar experiências que estavam entre nós durante a pandemia, mas não somente nela, e, sim, entre experiências. Criar um entre de pesquisadores, artistas, estudantes, profissionais da saúde e educação, usuários do SUS, que tentavam seguir à procura (Paim, 2018).

 

(Leia o artigo completo em PDF).

 

Recebido em: 20/03/2021

Aceito em: 15/04/2021

 

[1] Terapeuta ocupacional. Especialista em Saúde Mental Coletiva. Trabalhadora do Sistema Único de Saúde, no Município de Porto Alegre. Pesquisadora do Projeto de Ensino, Pesquisa e Extensão Entre Artesanias da Diferença (Faced/UFRGS). E-mail: paulacadoreto@gmail.com

[2] Educadora Especial. Doutora em Educação. Docente do Departamento de Estudos Especializados (Faced/UFRGS). Pesquisadora do Projeto de Ensino, Pesquisa e Extensão Entre Artesanias da Diferença (Faced/UFRGS). E-mail: daninoal@gmail.com

[3] Estudante do Curso de Licenciatura em Pedagogia (Faced/UFRGS). Estagiária em Centro de Atenção Psicossocial Adulto. Pesquisadora do Projeto de Ensino, Pesquisa e Extensão Entre Artesanias da Diferença (Faced/UFRGS). E-mail: alinemcmattos@gmail.com

[4] Psicóloga. Docente da Universidade Estadual do Amazonas. Pesquisadora do Projeto de Ensino, Pesquisa e Extensão Entre Artesanias da Diferença (Faced/UFRGS). E-mail: slemos@uea.edu.br

Artesaniando possibilidades de acolhimento de Norte a Sul: entre experiências pandêmicas na saúde e na educação

 

RESUMO: Esta escrita parte do desejo das pesquisadoras em revisitar memórias e descrever a experiência de criação de possíveis (Deleuze, 1992), em meio à pandemia do coronavírus. Criar (e inventar) possíveis: no sentido de cuidado e ensino, a partir da tessitura de redes afetuosas, artísticas, criativas e acolhedoras, no âmbito do Projeto de Pesquisa e Extensão Entre Artesanias. Construímos e sustentamos uma ou várias redes para conectar professores, estudantes, profissionais da saúde, usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), artistas e profissionais da educação, durante a pandemia da Covid-19, desde a região norte à região sul do Brasil. Conectar no sentido de acolher. Conectar para olhar, sentir e partilhar. Conectar para compartilhar algumas entre experiências durante o isolamento social. Conectar para inventar possibilidades de trocas e convivências. Conectar para reduzir danos. A pandemia e o coronavírus seguem desafiando cientistas e profissionais da saúde – desafiando também este projeto e coletivo, pois foi (e é) preciso seguir o trabalho em saúde e defender o Sistema Único de Saúde. Podemos narrar muitos encontros, experiências, acolhimentos e histórias, e, ainda assim, a sensação de não ter resultados seguirá em nossos corpos. A gestão da saúde nacional ignora as experiências de mais de 30 anos do SUS e dos profissionais que nele atuam.

 

PALAVRAS-CHAVE: Entre experiências. Artesanias da diferença. Pandemia.

 


Crafting reception possibilities from North to South: between pandemic experiences in health and education

 

ABSTRACT: This writing starts from the researchers’ desire to revisit memories and describe the experience of creating possible ones (Deleuze, 1992), in the midst of the Coronavirus pandemic. Create (and invent) “possibles”: in the sense of care and teaching, from the weaving of affectionate, artistic networks, creative and welcoming, within the scope of the Entre Artesanias (“between crafting”) Research and Extension Project. We built and supported one or more networks to connect teachers, students, health professionals, users of the Unified Health System (SUS), artists and education professionals, during the Covid-19 pandemic, from the north to the south of Brazil. Connect in order to welcome. Connect to look, to feel and share. Connect to share some between experiences during social isolation. Connect to invent possibilities for exchanges and coexistence. Connect to reduce damage. The pandemic and the Coronavirus continue to challenge scientists and health professionals, and in the case of this Project and this collective, mainly because it was (and is) necessary to follow the work in health and defend SUS. We can narrate many encounters, experiences, hospitality and stories, and yet, the feeling of having no results will follow in our bodies. National health management ignores the experiences of more than 30 years of SUS and the professionals who work in it.

 

KEYWORDS: Between experiences. Crafts of difference. Pandemic.

 


CADORE, Paula; GAI, Daniele Noal; MATOS, Aline Milena Castro; LEMOS, Sônia Marias. Artesaniando possibilidades de acolhimento de Norte a Sul: entre experiências pandêmicas na saúde e na educação. ClimaCom – Coexistências e cocriações [Online], Campinas, ano 8, n. 20,  abril. 2021. Available from: http://climacom.mudancasclimaticas.net.br/artesaniando-possibilidades/