Dossiê “Florestas”

| ano 7, n. 17, 2020 |

| EDITORIAL | 

(BREVE NO AR)

Em seu décimo sétimo dossiê a revista ClimaCom trará as “Florestas” para pensar. Trata-se de um dossiê especial em que teremos textos, imagens, sons que encontram com as potências das floresta e que podem nos mobilizar e sensibilizar de modos inusitados diante da pandemia e da crise governamental que enfrentamos no Brasil. São esculturas, instalações, papers, desenhos, fotografias, montagens, ensaios, entrevistas, reportagens, poemas etc. que reúnem muitos sentidos e forças, pois não apenas pensam as florestas, antes compõem com elas modos de pensar, de sentir e problematizar, tomando-as parceiras de criação, pesquisa, escrita, companheiras de produção de visualidades e sonoridades. Trabalhos que se esforçam por escutar o chamado das florestas: inventar e cuidar de um estar junto entre heterogêneos que dure. Assim que poderemos percorrer o modo como buscam reunir povos indígenas, quilombolas e pesquisadores, fotografias, escritas e desenhos, movimento sem-teto, artistas e florestas, árvores, mitos e antropologia, artes, ciências e clima, máquinas do tempo, tecnociências e mudanças climáticas, cinemas, escolas, selvas e… Poderemos simpatizar com os modos como transbordam e ampliam a noção de florestas, como movimentam um perceber-fazer floresta em muitas práticas diferentes, com materiais os mais diversos, nos lugares os mais impensados. Interessa a este dossiê a floresta como conceito, funcionamento e sensação. Um chamado a nos engajarmos na tarefa de seguir fazendo florestas por outros modos de existência. Engajamento que pode nascer da leitura e do que as florestas ativam descontroladamente e inesperadamente em nós, humanos, e que nos lança para um além de nós. Gerando simbioses desprogramadas que aumentam a potência de vida e são capazes de gerar impactos alegres e afirmativos em toda a Terra. E, sim, podemos dizer sem receio de sermos considerados românticos ou nostálgicos, que as florestas aumentam a confiança no futuro.

Susana Dias

Editora

 

SUMÁRIO – Florestas

| ano 7, n. 17, 2020 |

SEÇÃO PESQUISA

Artigos

Ensaios

 

ARTES

LAB-ATELIÊ

 

JORNALISMO

Coluna Assinada

Entrevistas

Notícias

 

SATÉLITE

 

CHAMADAS ABERTAS

 


FICHA TÉCNICA

Dossiê “Florestas”

Editores | Susana Oliveira Dias (Universidade Estadual de Campinas – Unicamp, São Paulo), Carolina Cantarino Rodrigues (Universidade Estadual de Campinas – Unicamp, São Paulo), Tatiana Plens de Oliveira (Universidade Estadual de Campinas – Unicamp, São Paulo) e Renato Salgado de Melo Oliveira, (Instituto Federal Baiano – Campus Itaberaba, Bahia).

Curadoria da seção de arte e laboratório-ateliê | Susana Dias

Editoração | Tatiana Oliveira, Susana Dias e Carolina Rodrigues

Revisão | Susana Dias, Carolina Rodrigues, Tatiana Oliveira e Renato Oliveira

Capa | Fotos de Susana Dias, Alessandra Penha e Carolina Avilez

Grupo | multiTÃO: prolifer-artes sub-vertendo ciências, educações e comunicações (CNPq)

Rede de Pesquisa | Divulgação Científica e Mudanças Climáticas

Instituições | Laboratório de Estudos Avançados em Jornalismo (Labjor-Unicamp), Faculdade de Ciência Aplicadas (FCA-Unicamp), Faculdade de Educação (FE-Unicamp), Instituto Federal Baiano – Campus Itaberaba, Bahia.

Pós-graduação | Programa de pós-graduação em Divulgação Científica e Cultural, Programa de pós-graduação em Educação

Projetos | Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia para Mudanças Climáticas (INCT-MC 2a. Fase) – (Chamada MCTI/CNPq/Capes/FAPs nº 16/2014/Processo Fapesp: 2014/50848-9); “Por uma nova ecologia das emissões e disseminações: como a comunicação pode modular a mais intensa potência de existir do humano diante das mudanças climáticas?” (CNPq); Revista ClimaCom: http://climacom.mudancasclimaticas.net.br/