Uma máquina do tempo para frear a savanização da floresta amazônica | Rodrigo Ramírez Autrán


 Rodrigo Ramírez Autrán[1]

 

“… é a guerra de mil anos contra o desconhecido (…)

A definição dos últimos aspectos da Amazônia será o

fecho de toda a História Natural (…)

Realmente a Amazônia é a última página

a escrever-se do Génesis”

(Euclides Da Cunha, Inferno Verde, 1927)

1. A floresta tropical da Amazônia na América do Sul

A Amazônia é um microcosmo e é também um dos ecossistemas mais importantes do mundo, com um papel vital para a biodiversidade mundial e para o ciclo global do carbono (Senna et. al., 2014). Não há uma única Amazônia: suas características são tão variadas que é possível observar suas diferenças no nível entre países, entre ecossistemas ou mesmo de uma área para outra. Amazônia (português brasileiro) ou Amazónia (português europeu) (também chamada de Floresta Amazônica, Selva Amazônica, Floresta Equatorial da Amazônia, Floresta Pluvial ou Hileia Amazônica) é uma floresta latifoliada úmida que cobre a maior parte da Bacia Amazônica da América do Sul. Esta bacia abrange 7 milhões de quilômetros quadrados, dos quais 5 milhões e meio de quilômetros quadrados são cobertos pela floresta tropical (Fearnside, 2009).

A região Amazônica é um dos lugares-chave das mudanças globais, recursos hídricos e preservação da biodiversidade. Ao mesmo tempo, é a última fronteira de expansão econômica territorial do Brasil e é também uma figura primordial na configuração de uma globalização ambiental (Fearnside, 2009). A Amazônia brasileira, uma floresta do tamanho da Europa Ocidental, possui uma variedade de tipos de vegetação, interações biológicas e processos geoquímicos com significado global para a biodiversidade e o clima. No entanto, apesar disso, a floresta sofre com o desmatamento que avança rapidamente. Devido a importância da floresta, torna-se necessário que haja urgência especial ao entendimento dos processos biológicos e sociais nessa região e à aplicação desse entendimento (Fearnside, 2010). De fato, o valor social e natural da floresta para o mundo, pode ser percebido a partir de distintas narrativas, nas quais floresta amazônica tem sido denominada já nos anos 80 como “o pulmão da humanidade”[2], e como “patrimônio da humanidade” (Santos-Filho, 1999; Almeida, et al., 2005).

Se sabe que a região amazônica é responsável por inúmeros serviços ambientais, entre os quais: o habitat de cerca de 10 a 15% da biodiversidade da terra regulação climática e a produção de água doce, que corresponde a cerca de 15% a 20% de toda a água doce lançada nos oceanos anualmente (Sampaio et al., 2019). (Leia o artigo completo em PDF).

 

Recebido em: 01/05/2020

Aceito em: 05/06/2020

 

[1] Doutorando Programa de Pós Graduação em Política Científica e Tecnológica, Instituto de Geociências, UNICAMP, email: ramirez.autran.rodrigo@gmail.com

[2] https://www.dw.com/pt-br/a-amaz%C3%B4nia-%C3%A9-realmente-o-pulm%C3%A3o-do-mundo/a-50228818 Acesso: 22/08/2018.

Uma máquina do tempo para frear a savanização da floresta amazônica

 

RESUMO: No interior da floresta amazônica brasileira, tem sido desenvolvido AmazonFACE, uma experiência científica com a finalidade de analisar os possíveis impactos das concentrações de CO2 na atmosfera e as mudanças climáticas correspondentes. Dita experiência científica tem, entre outras metodologias e tecnologias, aparelhos que já foram denominados de “máquinas/cápsulas do tempo”, as quais podem ajudar os cientistas nas pesquisas focadas nos efeitos ao nível biológico da floresta, causadas pelas concentrações de CO2 antropogênicas. O presente trabalho procura fazer uma descrição das condições históricas e tecnocientíficas nas quais um grupo de cientistas procuram responder uma das muitas hipóteses científicas focadas nas  mudanças climáticas na floresta amazónica.

 

PALAVRAS CHAVE: Amazônia, Savanização da floresta, AmazonFACE, Mudanças Climáticas.


A time machine to brake the savanization of the amazon forest

 

ABSTRACT: In the interior of the Brazilian Amazon rainforest, a scientific experiment has been developed in order to analyze the possible impacts of CO2 concentrations in the atmosphere and the corresponding climate changes. This scientific experience has, among other methodologies and technologies, devices that have already been called “time machines/capsules”, which can help scientists in research focused on the effects at the biological level of the forest, caused by anthropogenic CO2 concentrations. The present work seeks to describe the historical and technoscientific conditions in which a group of scientists seek to answer one of the many scientific hypotheses focused on climate change in the Amazon rainforest.

 

KEYWORDS: Amazon rainforest, Savanization, AmazonFACE, Climate Change.


AUTRÁN, Rodrigo Ramírez. Uma máquina do tempo para frear a savanização da floresta amazônica. ClimaCom – Florestas [Online], Campinas, ano 7,  n. 17,  Jun.  2020. Available from: http://climacom.mudancasclimaticas.net.br/rodrigo-ramirez-autran-uma-maquina-do-tempo-para-frear-a-savanizacao-da-floresta-amazonica