Entre meios – uma conexão de mundos com os sapos diante do Antropoceno | Natália Aranha e Susana Dias

Título | Entre meios – uma conexão de mundos com os sapos diante do Antropoceno

Entre os mais diversos tipos de espaços, pesquisadores desenvolvem estudos para debater alternativas racionais para o futuro da vida anfíbia. Seres com um nome que deriva do grego “amphibius”, que carrega um conceito de vida dupla, que vivem entre meios. Dentro dessa grande diversidade de espécies, estão os anfíbios anuros, popularmente conhecidos como sapos. E assim como os meios que se relacionam, estão em constante coevolução, possibilitando o entrelaçamento entre diferentes espécies através de serviços de apoio, contribuindo nas alterações dos ecossistemas, proporcionando controle e equilíbrios dos meios, seja de maneira direta ou indireta. Entretanto, por serem animais ecotérmicos, ou seja, que necessitam de fontes externas para conseguir manter sua temperatura, são espécies que apresentam hipersensibilidade as mudanças ambientais e climáticas. E devido a isso, atualmente são considerados o grupo de vertebrados terrestres mais ameaçado de extinção. Devido as mudanças ambientais e climáticas que marcam o Antropoceno, uma forte pressão vem impactando a biodiversidade e toda sua heterogeneidade, reduzindo a estabilidade e a adaptabilidade do funcionamento de comunidades e do ecossistema. Estamos cercados por ideias e pensamentos modernos e antrópicos, acostumados a enxergar as espécies não humanas como seres únicos e independentes. Entretanto, nos esquecemos de que a vida é simbiose. E assim como os sapos, devemos desenvolver pensamentos e responsabilidades de que também dependemos de conexões entre meios para viver, e isso, é fundamental para lidar com o Antropoceno. Dessa forma, foram desenvolvidas oficinas de criação visual através do método de mesas de trabalho (Dias, 2020) e da fabulação especulativa (Haraway, 2021). O principal intuito foi de criar novas maneiras de comunicar sobre os anfíbios anuros, conhecendo diferentes percepções e gerando novas perspectivas, pensamentos e sentidos frente ao antropocentrismo que predominam os meios de comunicação massificados. E assim, produzir novas sensibilidades em relação aos sapos, de afetar e ser “afetado”. Para isso, foram abordadas temáticas sobre “Entre meios” do qual estávamos acompanhados de livros, tintas, pincéis, trechos com informações sobre os sapos, artes e fotos de diferentes espécies de anfíbios anuros, para realizar a prática em conjunto, utilizando a técnica aquarela como forma de representação dos meios terra-água para os sapos. Além disso, também foi utilizado experiências com colagens, que também utilizou fotos de diferentes espécies e impressões de diferentes tipos de cenários. Também abordamos a temática “Sons” do qual foram utilizados cantos de diferentes tipos de espécies,
imagens e objetos que nos permitia associar esses cantos com outros sons existentes no mundo. E a temática sobre “Grafismo”, que nos permitiu desenvolver uma observação, dando atenção para alguns elementos que estão presentes nos sapos. Tais abordagens possibilitaram criar formas de fazer com que esses animais continuassem vivendo através de diferentes tipos de meios e cenários. Além do mais, promoveu experiências de como seria “levar o anfíbio na pele, no corpo” e, junto com o público, transformamos o espaço de divulgação científica em um espaço de criação, utilizando processos semelhantes ao dos cientistas de comparar ou encontrar diferentes tipos de sons do mundo que se assemelhassem com o dos anfíbios, como um processo de auxiliar a identificar as espécies.


| FICHA TÉCNICA |

Texto | Natália Aranha

Criações em aquarela, colagens e grafismos | Emanuely Miranda, Mariana Vilela, Milena Bachir, Natália Aranha, Paulinha Luiz Pinto e Susana Dias

Local | Labjor-Unicamp

Concepção e organização da mesa de trabalho com os sapos | Natália Aranha e Susana Dias

Realização | Grupo multiTÃO (CNPq) do Labjor-Unicamp

Campinas, 2022

 

 

ARANHA, Natália; DIAS, Susana. Entre meios – uma conexão de mundos com os sapos diante do Antropoceno. ClimaCom – Políticas vegetais [online], Campinas, ano 9, dez. 2022. Available from: http://climacom.mudancasclimaticas.net.br/sapos/


 

SEÇÃO ARTE | POLÍTICAS VEGETAIS | Ano 9, n. 23, 2022

ARQUIVO ARTE |TODAS EDIÇÕES ANTERIORES