Rizomar é verbo para elas | Fabíola Fonseca


Fabíola Fonseca[1]

Ontem os jornais noticiaram a queda das temperaturas no sul e sudeste do Brasil que vieram junto com uma ventania que atingiu 74km na capital paulista. De acordo com as notícias da meteorologia, a ocorrência de um ciclone extratropical causou isso tudo. Era possível ver a força do vento nas imagens. Nas regiões costeiras, a ventania atingiu velocidades maiores, as ondas do mar se quebravam com força nos barcos, causando ali um movimento que, para quem assistia, produzia um certo tremor de pensar que o barco poderia virar ou rachar em alguma parte da sua proa.

No dia seguinte à ventania, os sites anunciavam o número recorde de ligações para informar a queda de árvores. Até aquele momento, havia 240 registros. Houve também quem registrasse a queda das árvores em cima de suas casas e a impossibilidade de permanecer no local por conta do frio que chegou com a derrubada do telhado que ajudava a manter a temperatura do abrigo. Uma chuva chegou nas cidades atingidas uns dias antes dos ventos, gelada, e se manteve no local um dia depois. Nessa época de inverno as chuvas são raras por aqui.

Pra ser honesta, o regime das águas em determinadas regiões do Brasil têm uma engraçada relação com os meses que têm R. Então janeiro, fevereiro, março e abril têm R e são períodos de chuva. Quando começa maio, junho, julho e agosto, as chuvas dão um tempo e esses meses são escritos sem R. Em setembro, outubro, novembro e dezembro, meses que têm R, as chuvas começam a engrenar novamente depois do longo período de estiagem. Agosto é o auge da estiagem, mês conhecido pelas baixas umidades do ar. Em cidades no centro-oeste, por exemplo, o nariz da gente pede clemência. De tal forma que uma noite tranquila de sono precisa ser acompanhada de um umidificador de ar ou um balde com água ou uma toalha molhada perto da cama, o que não é muito recomendado pelos médicos.

Quando morava em Goiânia, meu nariz sangrava nessas épocas de seca, sobretudo no começo da estação.

[1] Pós-doutoranda em Educação vinculada ao projeto INCT-MC. Email: fasimoes@unicamp.br

 

(Leia o artigo completo em PDF).

 

Recebido em: 15/09/2022

Aceito em: 15/10/2022

 

 

 

 

Rizomar é verbo para elas

 

RESUMO: o presente texto tem como proposta levantar a possibilidade de encontrar aliados em um cenário configurado pelas mudanças climáticas. Nosso disparador foi o evento extremo causado por um ciclone extratropical que produziu uma forte ventania no sul e sudeste do país, além das baixas temperaturas. Acreditamos ser urgente encontrar aliados para o enfrentamento da crise e fazermos experimentações que nos desloque dos parâmetros hegemônicos que hoje balizam nossas formas de estar, de existir e de nos relacionarmos entre a nossa espécie e com as demais. Trazemos as chamadas plantas invasoras para a conversa como forma de nos aliarmos a elas, de encontrarmos outros olhares e sensibilidades. São elas que nos convocam nesse texto a aguçarmos nossos sentidos.

PALAVRAS-CHAVE: Plantas Daninhas. Rizoma. Eventos Climáticos.

 


Rhizomar is a verb for them

 

ABSTRACT: The present text proposes to raise the possibility of finding allies in a scenario configured by climate change. Our trigger was the extreme event caused by an extratropical cyclone that produced strong winds in the south and southeast of the country, in addition to low temperatures. We believe that it is urgent to find allies to face the crisis and to carry out experiments that displace us from the hegemonic parameters that today guide our ways of being, of existing and of relating to our species and to others. We bring the so-called invasive plants into the conversation as a way of allying ourselves with them, of finding other perspectives and sensitivities. They are the ones who summon us in this text to sharpen our senses.

KEYWORDS: Weeds. Rhizome. Climate Events.


PAIVA, Marcela Elisa Beraldo de; MARANDOLA JR., Eduardo. Encontramo-nos no exílio: uma possibilidade para o reencantamento ambiental necessário. ClimaCom – Esse lugar, que não é meu? [Online], Campinas, ano 9,  n. 22,  mai. 2022. Available from: http://climacom.mudancasclimaticas.net.br/rizomar-e-verbo/