Mapeamento afetivo das existências múltiplas | Valéria Scornaienchi


Valéria Scornaienchi[1]

 

Introdução

As plantas se comunicam entre si, se ajudam, se entrelaçam, se relacionam. As plantas resistem às intempéries, à ação humana, aos animais. A sobrevivência dos seres da terra e do mar está no acordar da Terra, no despertar. Uma vida desperta a outra. Os sons do silêncio e do ruído intenso e duradouro são iguais. A mente entra no silêncio e entra no som, e desaparece com eles. O corpo vibra com a terra e repousa na água no mar. Flutua na água salgada e se move com a onda. As folhas, galhos e vestígios flutuam no rio. São levados por um gesto água desconhecido e fluido. Gesto caminho. O céu reflete no rio, rebate a paisagem e faz uma dobra no tempo. Dobra simétrica e esmaecida. Gesto dobra de criação invertida. A soma das imagens cria uma terceira onde o céu é o rio e o rio é o céu. Já não se sabe qual é um e qual é outro. Na mata silenciosa a folha grande de uma planta gira. Gesto energia. Outras folhas da mesma planta em lugares diferentes da mata também giram. (Todas as vezes que vejo essa folha girando, apenas uma, sem vento, me faz pensar quantas coisas misteriosas acontecem o tempo todo. Talvez não misteriosas para quem estuda as plantas.) O silêncio da mata é rompido pelo gesto caminho e pelo gesto planta. As raízes crescem dentro e fora da terra. Se entrelaçam em troncos e se espalham entre. No espaço entre, o gesto raiz e o gesto penetrar. Raízes, plantas, folhas, troncos criam entidades de coexistência. Agora são um em simbiose e relação afetiva. Todas as plantas são animais, os animais são minerais, e os minerais são humanos. Metamorfose. As metamorfoses suspendem a existência do eu para criar o nós. Pensamento de somatória. Gesto nós. Se o tempo se instala em nós, o pensamento gira em torno do que é novo ou velho, do que era antes e do que é depois. (Leia o ensaio completo em PDF).

 

Recebido em 15/09/2022

Aceito em 15/10/2022

 

Mapeamento afetivo das existências múltiplas

 

RESUMO: O que seria mapear as existências múltiplas? Como pensar o mundo a partir do ponto de vista de outros seres, visíveis e invisíveis? Como os gestos dos mais diversos seres e entidades do planeta me ajudam a pensar meu trabalho artístico. Proponho um caminhar por esses pensamentos que habitam minha mente e meu corpo enquanto eu desenho, enquanto eu resisto ao mundo contemporâneo e suas intempéries. Meu trabalho artístico acontece a partir do pensamento, dos cadernos e das dobras entre a minha existência e a existência dos múltiplos seres.

PALAVRAS-CHAVE: Existências múltiplas. Mapeamento afetivo. Processo criativo.


Affective mapping of multiple existences

 

ABSTRACT: What would it be to map the multiple existences? How to think from the point of view of other beings, visible and invisible? How the gesture of the most diverse beings and entities of the planet help me think about my artistic work? I propose to walk through these thoughts that inhabit my mind and body while I draw and resist the contemporary world and its interperies. My artistic work happens from thoughts, notebooks, and folds between my existence and the existence of the multiple beings.

KEYWORDS: multiple existences, affective mapping, creative process.

 


SCORNAIENCHI, Valeria. Mapeamentos afetivo das existências múltiplas. ClimaCom – Politicas Vegetais [Online], Campinas, ano 9,  n. 23,  Dez.  2022. Available from: http://climacom.mudancasclimaticas.net.br/mapeamento-afetivo/