Escutas de Raiz Coração: alianças afetivas e poéticas e(m) territórios e (a)travessias na vida e na arteterapia | Luíza Câmara Maretto


 

Luíza Câmara Maretto[1]

 

Tanta luta, tanta destruição / paisagens originárias[2] do afeto / para transformar / tamanha opressão.

Coração aberto / para sentir / e firmeza para inventar / outro estado de ser / outro lugar

 

Vozes da Terra nos contam histórias da origem… da vida, do planeta e da natureza que nasciam (e nascem), dos diferentes seres vivos que habitavam (e habitam) a terra, do ser chamado humano que surgia (e ainda vive), de como a terra o abraçava (e abraça) e em teia todas pertenciam (e pertencem). De como essa relação foi sendo transformada, e memórias atravessadas, no percorrer dos tempos. De como histórias de disputas e violências começaram a ser narradas, em desrespeitos com a natureza, com os territórios, com os corpos das pessoas, com as relações entre os seres, com o sentir. Violências com os sentimentos em prol de um tipo de racionalidade, da separação entre a sensibilidade e corpo, uma desintegração. Um não diálogo e sons não mais escutados, uma surdez para a música de um Todo em composição. Desmatamentos, consumismo, asfaltos, individualismo… Florestas queimadas, monoculturas, muros e apartamentos. Rupturas ecológicas e culturais. Dessas histórias que precisam e desejam ser escutadas, vindas de Vozes da Terra. Uma necessidade de (re) aprender a escutar, de escutá-las, pois querem nos contar…. sobre a vida e como um determinado percurso de “desenvolvimento” rasga a terra e os laços que nos unem. Porém, elas nos lembram: “O Sagrado é o laço que une as partes ao todo (…)”.(Mies, Vandana, 1993, p. 134.) Mesmo que possamos ter esquecido do chão que pisamos e do sentido de lar, de casa. Assim, é desses desenraizamentos com a terra que falamos e vivemos nos tempos maiores de hoje, e de uma caminhada que nos chama para recordar e reconstruir essas raízes. Raízes de ligação com a Terra, o Todo, e também com nossas próprias histórias, nosso pertencimento em territórios que se atravessam. (Mies; Vandana, 1993.) Ao caminhar, marcamos passagem pelo chão, pela terra. Aqui, nessa escrita travessia, demarco uma caminhada e territórios de aprendizado de Escuta de Raiz (ou da raiz da escuta), caminhada de aprendizado de expressão de raiz (ou da raiz da expressão), através do fazer em Arteterapia.

 

Do caminho dos aprendizados de origem e de enraizar, de raiz… palavras que compõem imagens, fazem sentir… que assim possa ser. Abrir-se para uma escuta de composições.

 

(Leia o artigo completo em PDF).

 

Recebido em: 20/03/2021

Aceito em: 15/04/2021

 

[1] Arteterapeuta (TRAÇOS/PE), Psicóloga (Unesp/Assis), Poeta (Em experimentação), Especialista em Saúde da Família (RMISF/UPE), Especialista em Educação Permanente em Saúde em Movimento (UFRGS). E-mail: lumaretto2@gmail.com

[2] “Paisagem Originária” é expressão inspiração-dispositivo de toda essa travessia, e veio a partir do título do trabalho realizado pelo artista Daniel Caballero, nas paredes da quadra da instituição SESI, na cidade de Ribeirão Preto, durante o ano de 2019. O artista visual pintou uma paisagem imaginada de antes do surgimento da cidade e provocou, dentre diferentes questões: “O que seria uma paisagem originária?”. Essa imagem me atravessou de sentidos, acompanhou e ainda caminha como base desse território de escuta raiz de coração e poesia. Movimenta em profundidade de percurso e em outras ampliações passadas, presentes e futuras.

Escutas de Raiz Coração: alianças afetivas e poéticas e(m) territórios e (a)travessias na vida e na arteterapia

 

RESUMO: A presente escrita deseja realizar e oferecer uma pequena parte de uma travessia de aprendizado de “Escuta Raiz Coração”, feita através do percurso de estágio para a conclusão da formação em “Arteterapia e processos de criação”, (oferecida pela TRAÇOS – Estudos em Arteterapia, do Recife, em Pernambuco); em um ano de (a)travessia e habitação em aprendizado, no assentamento de reforma agrária – Projeto de Desenvolvimento Sustentável / PDS da Barra, da área de cobertura da Equipe de Saúde da Família ESF Dr. Luiz Carlos Raya, da cidade de Ribeirão Preto, no interior do estado de São Paulo. Escrever aqui pretendendo escutar e, como palavras (que) carregam imagens, provocar inspirações e dispositivos poéticos para o cultivo de territórios e(m) (a)travessia do fazer em arteterapia.

 

PALAVRAS-CHAVE: Escuta. Raiz. Arteterapia.

 


Heart-Rooted Listening: affective and poetic connections in/and territories in life and in art therapy crossing

 

ABSTRACT: The aim of this paper is to accomplish and provide a small part of a learning journey of a “Heart-Rooted Listening” done throughout the path between an internship in the land reform settlement  – Sustainable Development Project / PDS da Barra, from area of work of Health Family Equip – ESF Dr. Luiz Carlos Raya, from Ribeirão Preto city, in the countryside of the state of São Paulo. and the conclusion of the education in “Art Therapy and Creation Processes” (offered by TRAÇOS – Studies in Art Therapy, from Recife, in Pernambuco). The writing’s intention is to listen and, as words (that) carry imagery, to spark inspiration and bring on poetical devices to nourishment of territories in/and the crossing of the making in art therapy.

 

KEYWORDS: Listening. Roots. Art therapy.

 


MARETTO, Luíza Câmara. Escutas de Raiz Coração: alianças afetivas e poéticas e(m) territórios e (a)travessias na vida e na arteterapia. ClimaCom – Coexistências e cocriações [Online], Campinas, ano 8, n. 20,  abril.2021. Available from: http://climacom.mudancasclimaticas.net.br/escutas-de-raiz/