Escrito Proscrito | Matheus Simões

Título | Escrito Proscrito

O título dado à série, “Escrito Proscrito”, conjuga a ação inicial (escrever) com o adjetivo (‘proscriptus’) que remete à algo exilado, extinto, suprimido, desterrado; que tanto relaciona o banimento dos doentes quanto à própria temática do HIV dentro do espaço da arte atualmente, considerada um assunto de menor gravidade ou superado quando comparado ao que se viveu nos anos 1980 e 1990. A palavra “proscrito” ainda é parônima de “prescrito” (praescriptus), que na linguagem médica confere uma rotina de cuidados com a saúde, implementadas por um médico. As palavras gravadas na série “Escrito Proscrito” utiliza palavras encontradas em bulas de antirretrovirais de HIV como “Paciente”, “Contingente”, “Irremediado”, e contando originalmente com uma polissemia explícita e intencional, promovem um alastramento de partículas de sentido para além do controle inicial do artista, pois uma vez gravadas e lançadas para quem as lê, já não se pode inferir o sentido pressuposto (nem os que não foram pressupostos); aqui a palavra escrita é pensada como detonador de uma bomba viral que contamina o espectador.

Matheus Simões (Rio de Janeiro, 1985)

Graduação em Filosofia (IFCS-UFRJ) e mestrado em Artes na linha de Linguagens Visuais (EBA/UFRJ).

 

 


Ficha Técnica

Obras:
1. Escrito Proscrito (Contingente), 2018. monotipia sobre papel de algodão
2. Escrito Proscrito (Irremediado), 2018. monotipia sobre papel de algodão
3. Escrito Proscrito (Paciente), 2018. monotipia sobre papel de algodão

Contato

 

Email: mathsimoes@yahoo.com.br
Tel: +5521994321002

 

 

 

SIMOÕES, Matheus. Escrito Proscrito. ClimaCom – Epidemiologias [online],  Campinas,  ano 7, n. 19. dezembro. 2020. Available from: http://climacom.mudancasclimaticas.net.br/escrito-proscrito/


 

SEÇÃO ARTE |EPIDEMIOLOGIAS  | Ano 7, n. 19, 2020

ARQUIVO ARTE |TODAS EDIÇÕES ANTERIORES