desejos-vacina | Tiago Amaral Sales

Título: desejos-vacina

Quantos desejos atravessam um corpo na espera e no encontro com uma vacina? Esta é uma escrita poética produzida a partir da travessia pandêmica da covid-19, em um corpo à espreita de possíveis, em desejos-vacina.

 


Tiago Sales Amaral

Licenciado e Bacharel em Ciências Biológicas pelo Instituto de Biologia da Universidade Federal de Uberlândia (INBIO/UFU). Mestre e Doutorando em Educação no Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Uberlândia (PPGED/UFU). Graduando em Pedagogia pela Universidade Estácio de Sá (UNESA) e pós-graduando em Pedagogia Universitária pela Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM). Integrante do UIVO – Matilha de estudos em criação, arte e vida (UFU); e do GPECS – Gênero, corpo, sexualidade e educação (UFU). Bolsista CAPES.
E-mail: tiagoamaralsales@gmail.com
Telefone: (34) 991415396

 

 

 

desejos-vacina 

I

os olhos brilham
a boca saliva
os músculos contraem
e relaxam

o corpo todo vibra
ao pensar numa agulha
que fura a pele
e a penetra
injeta um líquido
induz reações

o corpo clama
pelo poder-médico
poder-científico
saber-poder
poder-controle

o corpo clama:
biopoder
ou seria uma súplica:
salve uma vida

II

biosseguranças
distâncias

aversões
a-contaminações

III

desejos de cura
desejo-vida
desejos-utopias
desejos-vacina

IV

imunizações racionais
rachar negacionismos
encontros alegres?
sair dos abismos

defender a vida
forjar refúgios
criar abrigos

V

desejo-fim-pandêmico
anseio de caminhar
nos escombros, perambular
olhar as ruínas
contemplar as ausências
na falta de ar, respirar

VI

privado
contido
desejo-cerceado
deserto-subjetivo
desejo-submetido
dessubjetivado
desacreditado
desiludido

VII

vigilâncias médicas
liberdades mortíferas
relações assépticas
prisões protetivas

VIII

sonhar uma cura
ter esperança
sonhar vacinas
desejar mudanças

IX

desejos viscerais

X

linfócitos anseiam
o aprender-vacina
o prazer-vacina

o tesão-vacina

XI

desejo entre patentes
relações diplomáticas
caos que não acaba

gotas de esperança
penetram alguns corpos

p.i.n.g.a.d.o.s

quais corpos serão
imunizados?

XII

l e n t i d õ e s
desesperadoras
ansiogênicas

XIII

ausências de vacina
só resta a espera
mas espera em silêncio
é uma chacina

espera = morte
vacina = vida

morte de tantos
desesperançados

d-e-s-p-e-d-a-ç-a-d-o-s
sem ar

espero
(des)esperançoso
esperando
tentando esperançar
até quando?

XIV

espero um pico
um furo
preencher um vazio?
frear um genocídio

XV

me encho de desejo
por também ser furado

XVI

um corpo
nada (no) vazio

XVII

no furo entrará
esperança

XVIII

líquidos indutivos
memória imunológica
mas nada apaga
a memória dos que foram
sem espera

XIX

furo-vazão
libertação
gotas
líquidos
explosão

delírios?
utopias?

cansado de me guardar
só quero me jogar
sair por aí
em desejos sem fim

pela boca
pelos braços
p.e.r.f.u.r.a.d.o.s
pelos arrepios
pelos arrepiados
corpo desejoso
de outros espaços

XX

corpo inteiro
corpo frag ment ado
corpo em ausências
corpo em saudade
corpo de    sp                          do

edaça

XXI

criar presenças
vida nas ausências
vidas inusitadas
ziguezaguear em resistências
diárias re-existências
instaurar outros mundos
resiliências

XXII

desejo-liberto
vida transbordante
gritos, súplicas
movimentos, esperanças
em gotas, rios, oceanos
em fricções

acontecimentos
penetram corpos
criam corpos
encontram corpos
vazando

preenchendo
lavando
levando
levitando
em forças
potências
movimentos
presenças
em outros,
e outros,
e outros
desejos

possíveis?

 

SALES, Tiago Amaral. desejos-vacina. ClimaCom – ClimaCom – Diante dos negacionismos [online], Campinas,  ano 8, n. 21. novembro 2021. Available from: http://climacom.mudancasclimaticas.net.br/desejos-vacina/


 

 

SEÇÃO ARTE | DIANTE DOS NEGACIONISMOS| Ano 8, n. 21, 2021

ARQUIVO ARTE |TODAS EDIÇÕES ANTERIORES