Corpos insuflados | Rosana Torralba

Título | Corpos insuflados

Tudo cabe por entre páginas de seus cadernos. As linhas repletas de palavras e imagens que se alinham e desalinham seguindo suas pesquisas, pensamentos e sentimentos. Os processos de Rosana Torralba são longos e desafiadores. A artista muitas vezes parte de cenas que lhe aparecem na mente como uma lembrança do que ainda não aconteceu. A partir daí começa a experimentar os elementos e as possibilidades reais de executar as suas instalações. Objetos ordinários do cotidiano que se multiplicam e criam narrativas próprias. Passam a integrar um ambiente não convencional ou as salas expositivas como possibilidade de existência única na qual tornam-se viventes do próprio espaço. Traz o nascimento e o renascimento como possibilidade de reflexão e identidade. Como se renascer pudesse alterar quem somos de fato. Será que pode?

Utiliza-se de objetos, de instalações e do seu próprio corpo para discorrer sobre sua produção. Instalações que contém vestígios de suas ações, outras que apresentam a exaustiva ação do corpo na sua concepção e montagem. O corpo presente na maior parte de seus trabalhos não só como objeto de ação mas como a materialidade inerente a sua produção que está presente mesmo quando o trabalho é apresentado em vídeo.

Reverencia a ancestralidade em ações de família que se repetem e que, agora, tomam os espaços expositivos fazendo de outros, coadjuvantes dessa história.

Torralba, em sua série atual de trabalhos, “corpos insuflados”, busca uma relação entre o peso e a leveza conforme ela mesma diz. As bolinhas de vidro, ou de plástico, que se deslocam de um lugar a outro, flutuam, se acumulam, se dispersam, se fundem à natureza ou mesmo desaparecem, e criam uma outra dinâmica no espaço fazendo-nos adentrar um lugar misterioso, no qual o peso ou a leveza já não importam mais.

Se por um lado a materialidade impera na produção da artista, por outro, mundos imaginários podem ser pensados a partir de seus elementos tão comuns e, ao mesmo tempo, poéticos. A construção de uma vasta pesquisa que ora se transforma em trabalho ora se esconde nos seus múltiplos cadernos.

                         Valéria Scornaienchi

primavera, 2020


 

Rosana Torralba

Paulistana, mora e trabalha em Campinas, São Paulo, Brasil. Artista visual graduada na FAAP, em 1987. Atuou como professora em Educação Infantil e, desde 2006, atua como artista visual. Em seu processo, a artista utiliza objetos e elementos efêmeros que mostram seu viés de criação para as suas instalações, vídeos, impressões, fotografias, livros de artista e performances. Nessa sua trajetória, os componentes usados para as suas obras, buscam refletir sobre a essência, as correspondências e transições da vida.

Email | torralbarosana@gmail.com

Face | Rosana Torralba

Instagram | @rosana.torralba

Site | rosanatorralba.com


Corpos insuflados

bolinhas de gude, caixa de vidro, balões e fio de naylon

2020

 

 

 

TORRALBA, Rosana. Corpos insuflados. ClimaCom – Devir Criança [Online], Campinas, ano 7,  n. 18,  Set.  2020. Available from: http://climacom.mudancasclimaticas.net.br/corpos-insuflados


 

SEÇÃO ARTE |DEVIR CRIANÇA  | Ano 7, n. 18, 2020

ARQUIVO ARTE |TODAS EDIÇÕES ANTERIORES