A sociedade de controle e o negacionismo como técnica e produto da manipulação de informação: riscos para uma sociedade democrática | Giovana Batisti E Leonardo Antônio Dresch


Giovana Batisti[1]

Leonardo Antônio Dresch[2]

 

INTRODUÇÃO

O direito à informação é um direito humano e fundamental essencial para o funcionamento de uma sociedade democrática, na qual o direito de saber como o poder eleito e o dinheiro público estão sendo usados, bem como o direito de influenciar e participar em decisões sobre matérias de interesse público, devem ser garantidos aos cidadãos. Assim, pode-se dizer que a liberdade de informação é um dos princípios que norteiam a democracia, sendo o direito à informação tanto um direito essencial em si mesmo, como um instrumento para alcançar outros direitos (MARTINS, 2011, p. 233-235).

Uma das maiores ameaças ao direito à informação plena é a manipulação da informação, um meio muito utilizado por atores políticos e/ou econômicos para obter alguma vantagem. Apesar da manipulação da informação poder ser exercida de diversas formas e servir à diversos fins, é certo que essas práticas podem deteriorar uma sociedade democrática (GIUSTI, PIRAS, 2021). A partir da estruturação da Sociedade Informacional, conforme definida por Castells, de uma rede de internet global em geral e das redes sociais em específico, uma nova esperança surgiu, com expectativas de democratização do controle sobre a divulgação de informações, maior liberdade de expressão, democratização do acesso à informação e, até mesmo, emancipação da mídia e distribuição da informação, antes quase exclusiva de atores institucionais (BEZEMEK, 2020).

No entanto, o que se pode observar é que as novas tecnologias de informação e comunicação, especialmente as redes sociais, tornaram-se terreno fértil para a expansão e a disseminação de informações manipuladas, por meio, principalmente, da modulação algorítmica e da utilização de perfis automatizados (bots) em redes sociais. Essas técnicas não só criam novas formas de manipulação da informação, como ajudam a disseminar informações já manipuladas por meio do discurso. No cenário pandêmico, em meio a necessidade crescente de obtenção de informações relevantes sobre o vírus e a doença e com a aceleração do uso da internet para obtenção dessas informações, essa situação se torna ainda mais perigosa à sociedade democrática, solidificando o que Deleuze chama de sociedade de controle (CALDARELLI et al, 2021; GIUSTI; PIRAS, 2021).

(Leia o artigo completo em PDF)

 

Recebido em: 20/11/2021

Aceito em: 10/12/2021

 

[1] Mestranda em Direito pela PUCPR. Bacharel em Direito pela PUCPR. E-mail: giovanabatistivieira@hotmail.com.

[2] Pós-graduando em Direitos Humanos e Questão Social pela PUCPR. Bacharel em Direito pela PUCPR. E-mail: leoadresch@gmail.com.

A sociedade de controle e o negacionismo como técnica e produto da manipulação de informação: riscos para uma sociedade democrática

RESUMO: Em meio ao contexto da pandemia do Covid-19, observa-se que o aumento da busca por informação através das redes sociais vem propiciando a formação da sociedade de controle de Deleuze, onde o negacionismo acaba por ser tanto técnica quanto produto desta estrutura, o qual, não só no Brasil, como em outros países do mundo, vem prejudicando diretamente os direitos à vida e à saúde. Desse modo, por meio do método hipotético-dedutivo embasado em material bibliográfico como artigos, livros e dados, a presente pesquisa buscou analisar como o negacionismo viola o direito à informação e, em consequência, outros direitos fundamentais, causando o adoecimento da democracia. Para isso, realizou-se a análise do surgimento da sociedade de controle informacional e do processo de modulação, distinguindo o biopoder do psicopoder; bem como a análise das técnicas de manipulação e o papel dos filtros-bolha na intensificação dessas, para, finalmente, pontuar os riscos e danos desses processos na formação de uma sociedade efetivamente democrática.

 

PALAVRAS-CHAVE: Sociedade de controle. Manipulação de informação. Negacionismo.

 


The society of control and denialism as a technic and a product of information manipulation: risks for a democratic society

 

ABSTRACT: In the context of the Covid-19 pandemic, it is observed that the increase in the search for information through social networks has led to the formation of Deleuze’s society of control, where denialism turns out to be both a technique and a product of this structure, which, not only in Brazil, but in other countries around the world, has directly harmed the rights to life and health. Thus, through the hypothetical-deductive method based on bibliographic material such as articles, books, and data, this research sought to analyze how denialism violates the right to information and, consequently, other fundamental rights, causing the sickening of democracy. To do so, an analysis of the emergence of the society of control and of the modulation process was carried out, distinguishing biopower from psychopower; as well as an analysis of the manipulation techniques and the role of filter bubble in the intensification of these, to finally point out the risks and damages of these processes in the formation of an effectively democratic society.

 

KEYWORDS: Control society. Information manipulation. Denialism.


BATISTI, Giovana Batisti; DRESCH, Leonardo Antônio. A sociedade de controle e o negacionismo como técnica e produto da manipulação de informação: riscos para uma sociedade democrática. ClimaCom – Diante dos Negacionismos [Online], Campinas, ano 8,  n. 21,  abril.  2021. Available from: http://climacom.mudancasclimaticas.net.br/a-sociedade-de-controle-e-o-negacionismo/