ISSN 2359-4705

CHAMADA | OUTRAS EDIÇÕES | ENGLISH


Laboratório de Comunicação das Mudanças Climáticas

Título: Laboratório de Comunicação das Mudanças Climáticas


Resumo: Um Laboratório da Comunicação das Mudanças Climáticas com notícias feitas com as 15 Sub-redes da Rede CLIMA: Agricultura, Biodiversidade e Ecossistemas, Cidades e Urbanização, Desastres Naturais, Desenvolvimento Regional, Divulgação Científica, Economia, Energias Renováveis, Modelagem Climática, Oceanos, Recursos Hídricos, Saúde, Serviços Ambientais dos Ecossistemas, Usos da Terra e Zonas Costeiras. Notícias criadas com as perguntas: que problemas mobilizam atualmente tais sub-redes? Quais enfoques teórico-metodológicos estão sendo trabalhados pelos pesquisadores? Qual a relevância desses problemas e escolhas para pensar as mudanças climáticas?

Num Laboratório de Comunicação tais notícias são tratadas como espécimes mutantes, abertas à proliferação e contágio com outras linguagens e formas de expressão. Um espaço em que imagens, palavras e sons não são apenas porta-vozes dos problemas colocados pelos cientistas – imagens, palavras e sonscolocam-se, eles mesmos, como problemas de futuro a serem experimentados com o público. Como comunicar as mudanças climáticas diante de tantas abordagens clichês que não nos sensibilizam mais?

Um Laboratório no qual espécies híbridas são compostas por problemas de pesquisa, mudanças climáticas, notícias, reportagens, papel-jornal e, também, porcriações de artistas, cientistas, dos pesquisadores-bolsistas que produzem a revista ClimaCom Cultura Científica – pesquisa, jornalismo e arte e do coletivo multiTÃO-Labjor-Unicamp. Tais espécimes estão em exposição como coleções biológicas e, numa bancada, novos espécimes de notícias são inventados com os visitantes. As notícias-espécies-híbridas nasceram do encontro entre os problemas e metodologias de pesquisa de cada uma dessas redes com as obras O Livro das Ignorãças, de Manoel de Barros, As Cidades Invisíveis, de Italo Calvino, e Kalahari, de José Serguilha. Tais amostras podem ganhar nomes numa atividade que experimenta tornar as manchetes em “manchatas”, isto é, torná-las sínteses [ironias, reflexões etc.] do que os espécimes fazem pensar, como se relacionam com as mudanças climáticas… A proposta do Laboratório de Futuro é inspirada em artistas que lidam com revistas e jornais, como Geoffrey Farmer, Guy Denning, Leila Danzinger, e se propõe a extrair forças da materialidade dos jornais e revistas para gerar expressões e sensações das políticas de papel e da comunicação com as mudanças climáticas. Colocar os problemas levantados para o futuro de um mundo-em-formação que quer entrelaçar a vida e o humano.

O Laboratório de Comunicação das Mudanças Climáticas foi montado na ExpoT&C da 67ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), na UFSCAR (São Carlos), em julho de 2015.


 

Coordenação:

Profa. Dra. Susana Dias

Profa. Dra. Carolina Cantarino

 

Concepção:

Susana Dias

Fernanda Pestana

Thiago La Torre

 

Design:

Fernanda Pestana

 

Produção:

Fernanda Pestana

Cristiane Delfina

 

Notícias:

Janaína Quitério

Meghie Rodrigues

Michele Gonçalves

 

Edição de textos:

Carolina Cantarino

Ana Godoy

 

Coletivo de pesquisa e criação multiTÃO (Labjor/Unicamp).